e-bit divulga resultados do e-commerce no primeiro semestre

· PATYMARKETING
Autores

e-bit divulga resultados do e-commerce no primeiro semestre

– Os seis primeiros meses de 2012 continuaram alavancando os números de faturamento do e-commerce brasileiro. De acordo com a 26ª edição do relatório WebShoppers, realizado pela e-bit, com o apoio da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net), entre o período de 01/01/2012 a 30/06/2012 foi faturado R$ 10,2 bilhões nas vendas online no país, o que significou um acréscimo nominal de 21% perante o mesmo período do ano anterior, quando foram registrados R$ 8,4 bilhões.

No primeiro semestre do ano, 5,6 milhões de pessoas fizeram a sua primeira compra online, o que significa que já somos 37,6 milhões de e-consumidores”, afirma a diretora de negócios da e-bit, Cris Rother.

O número de pedidos também apresentou números expressivos. Foram realizadas aproximadamente 29,6 milhões de encomendas nas lojas virtuais brasileiras no período analisado, com um tíquete médio de R$ 346. No primeiro semestre de 2011, haviam sido registrados 25 milhões de pedidos.

A categoria de “Moda e Acessórios”, que vem ganhando espaço rapidamente nos últimos dois anos, alcançou a 3ª posição no ranking das cinco categorias mais vendidas, com 11% do volume total de pedidos. No mesmo período do ano passado, não havia nem figurado no ranking. “Isso se deve ao maior conforto em se comprar artigos de vestuários na internet, além das próprias empresas do segmento em terem investindo em tecnologias e melhorias na padronização dos produtos”, explica Rother.

A colocação final das mais vendidas foi desenhada da seguinte forma: “Eletrodomésticos” em primeiro (13%), “Saúde, beleza e medicamentos” em segundo (13%), seguidos de “Moda e Acessórios” (11%), “Livros, assinaturas de revistas e jornais” (10%) e “Informática” (9%) completaram o ranking.

Durante o restante de 2012, as vendas online devem continuar crescendo no mesmo ritmo apresentado no 1º semestre. Espera-se que, na segunda parte do ano, o setor cresça 20% em relação ao mesmo período do ano passado, sendo faturados mais R$ 12,2 bilhões, fechando o ano com um total de R$ 22,5 bilhões, um crescimento nominal de 20% em relação a 2011. Historicamente, 55% das vendas anuais pertencem ao período entre 1º de Julho e 31 de Dezembro.

O E-commerce na América Latina

De acordo com números levantados em uma pesquisa especial realizada pela própria e-bit para entender melhor o perfil do e-consumidor na América Latina (considerando Argentina, México, Colômbia e Chile), 70% dos argentinos disseram usar para realizar compras, seguidos pelos chilenos com 65% e pelos mexicanos, com 64%. Os colombianos são os que menos utilizam a internet para comprar: 50%.

No entanto, os colombianos são os que mais utilizam o mercado exterior para suas encomendas online: 13%, contra 4% dos argentinos e mexicanos e 3% dos chilenos.

A pesquisa também revelou que a preferência no carrinho desses e-consumidores: Enquanto a categoria predileta dos argentinos (61%) e chilenos (67%) é a de “Ingressos”, colombianos e mexicanos optam por comprar “Passagens aéreas e reservas de hotéis”. Já a categoria “Eletrônicos” aparece na segunda colocação para as quatro nacionalidades.

Compras coletivas

As compras coletivas deixaram de ser novidade no mercado online. Após o “boom” do setor há pouco mais de dois anos, uma nova fase se iniciou para o modelo de negócios: a maturação.

Um levantamento inédito, realizado pelo InfoSaveme, ferramenta de monitoramento do mercado de compras coletivas desenvolvida pelo SaveMe em parceria com a e-bit, revelou os resultados do setor durante o primeiro semestre de 2012.

De acordo com Rother, “os relatórios do InfoSaveMe são elaborados com o balizamento das informações por parte da e-bit, que valida os dados. Com isso, o InfoSaveMe obtém um panorama completo do mercado de compras coletivas brasileiro.”

Mesmo com o ritmo moderado da economia, o mercado de compras coletivas manteve-se firme e faturou mais de R$ 731 milhões no período, um crescimento de 2% em relação ao primeiro semestre de 2011, que, em termos macroeconômicos, teve resultados mais positivos do que os atuais, que superou em R$ 14,3 milhões o resultado do primeiro semestre de 2011.

No primeiro semestre de 2012, o mercado de compras coletivas totalizou mais de 12 milhões de cupons vendidos a um ticket médio de R$ 60. Foram 83.233 ofertas anunciadas, cujos descontos geraram uma economia de R$ 1,4 bilhão nos bolsos dos brasileiros.

A expectativa para a segunda metade de 2012 é que o mercado de compras coletivas continue trazendo bons resultados e mantenha-se aquecido. O desempenho deve manter o fôlego das boas médias do segundo trimestre do ano, esperando-se que os resultados do quarto trimestre tenham um impacto previsível com a aproximação do final de ano, o que aumenta os custos dos consumidores. O ano de 2011 teve faturamento total de R$ 1,6 bilhão e, para 2012, é esperado um crescimento de 5% a 10%.

Mobile Commerce

O levantamento realizado pela e-bit revelou que, em Junho de 2012, 1,3% das compras online foram realizadas através de aparelhos mobiles, sejam eles smartphones ou tablets. No mesmo período de 2011, esse indicador era de 0,3%.

De acordo com a pesquisa, a maioria dos e-consumidores que utilizam Smartphones e Tablets para efetuar compras pela internet são mulheres, com 53% de participação. No mercado geral (pessoas que efetuaram compras pela internet) a divisão é mais equilibrada: 50% de homens e 50% de mulheres.

“Trata-se muito mais do que uma simples previsão de como o mercado deverá se comportar daqui pra frente. O m-commerce é uma realidade, ainda que sutil, que deverá ganhar força de maneira significativa junto com a evolução do setor”, afirma Pedro Guasti, diretor geral da e-bit.

A Amazon no Brasil

Ao longo de todo o ano de 2012, falou-se muito sobre a chegada da Amazon no Brasil. Tendo isso em vista, a e-bit realizou um estudo que buscou entender como os e-consumidores encaram a chegada da gigante no mercado nacional, traçando seu perfil e comportamento. A pesquisa online foi realizada entre os dias 3 e 12 de Agosto de 2012 e contou com 3.125 respostas do painel de respondentes da e-bit.

Segundo revelou o levantamento, um pouco mais de um quarto dos respondentes tem o costume de comprar fora do país, sendo que, destes, 26% já compraram na Amazon. Esses consumidores também costumam gastar mais: Enquanto o tíquete médio de compras fora do país é de R$ 158,00, na Amazon é de R$ 172,00. O valor no entanto é inferior à grande concorrente da Amazon, a BestBuy, que conta com um tíquete médio de R$ 212,00 dos brasileiros.

Com as informações da pesquisa, foi possível descobrir o que os consumidores brasileiros esperam da Amazon em sua atuação no e-commerce brasileiro: “Maior diversidade de produtos”, seguido por “Produtos inovadores”. Isso significa que, de certa forma, os e-consumidores estão preparados para conhecer novos produtos e segmentos e compra-los pela internet.

Postado por: Larissa data de publicação: 31, agosto 2012 Em: Compra Coletiva, Destaque, E-commerce |

1 Comentário

Comments RSS
  1. andre alterthum

    Gostei muito das informações ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: