Sistema de pagamentos: como escolher?

· PATYMARKETING
Autores

Se você está insatisfeito com o seu sistema de pagamentos, acha que perde muitas vendas, que as taxas são muito altas ou que o suporte é ruim, então este artigo é para você.

Antes de mais nada, você sabe que existem dois tipos distintos de sistemas no mercado: gateways de pagamentos e intermediários de pagamentos?

Para começo de conversa, os populares PagSeguro, Pagamento Digital, Paypal e Moip NÃO SÃO GATEWAYS DE PAGAMENTOSEles são intermediários de pagamentos, o que é muito diferente.

Gateways de Pagamentos

Gateways servem principalmente para reduzir tempo e custos de desenvolvimento e operação e são a principal opção de médias e grandes empresas que precisam de maior controle sobre os pagamentos.

As principais características são:

  • Simplificam a conexão da loja virtual DIRETAMENTE com operadoras e bancos
  • Adaptam-se a praticamente qualquer tipo de processo de checkout e cobrança
  • Fornecem ferramentas para a própria loja fazer a gestão de risco e financeira
  • Fornecem recursos avançados como compra com 1 clique, pagamento com 2 cartões, cobrança recorrente, conciliação financeira e estorno de pagamentos

Problemas do gateway

Gateway também possui duas características principais que, para muitos, são barreiras:

  • Não fazem controle de fraudes, o que é uma função terceirizada com uma empresa de gestão de risco que deve ser contratada à parte.
  • Requer convênios com operadoras e bancos, que são contratos que podem levar de 30 a 60 para serem concluídos.

Quanto custa um gateway

Os pacotes de recursos e serviços variam muito de gateway para gateway, o que dificulta a comparação. Mas há sempre uma pequena taxa fixa por transação e normalmente taxas de ativação para os serviços opcionais.

É importante frisar que a função do gateway é facilitar a conexão da loja diretamente com operadoras e bancos, os quais também possuem seus próprios custos e regras. Para vendas por cartão, por exemplo, a taxa é em média de 3% para depósito em 30 dias.

Como escolher um gateway

Ao avaliar um gateway, não avalie somente o preço, pois o barato pode sair caroProcure sempre responder a essas quatro perguntas:

  1. O gateway lhe ajudará a ganhar tempo e reduzir custos do seu projeto?
  2. É compatível com a plataforma de loja virtual que você utiliza?
  3. Ajudará a loja virtual a atingir as metas de crescimento?
  4. Que outras lojas parecidas com a sua estão satisfeitas com ele?

Exemplos de gateways

Os mais conhecidos: Braspag, CobreBem, BoldCron, CobreDireto, SuperPay, Locaweb, MundiPagg e MaxiPago.

Intermediários de Pagamentos

Também chamados de intermediadores ou facilitadores de pagamentos, são a principal opção para lojas virtuais pequenas ou que precisam começar logo a vender, mas poucos adequados para lojas maiores que normalmente optam por um gateway de pagamento.

Eu os chamo de pacote completo para micro e pequenas lojas virtuaispois basicamente oferecem o seguinte:

  • Diversos meios de pagamento sem precisar de convênios com bancos e operadoras
  • Garantia contra fraudes, pois o próprio intermediário faz o controle e assume os riscos
  • Vendas parceladas são depositadas em até 14 dias
  • Conciliação financeira simplificada através de um único painel de controle
  • Implantação simples, com telas de checkout prontas para diversas plataformas

Problemas do intermediário

As reclamações mais comuns de quem usa um intermediário de pagamentos são as seguintes:

  1. Carrinhos abandonados por o pagamento ser fora da loja, com cadastros adicionais
  2. Vendas negadas pelo intermediário
  3. Taxas altas
  4. Demora na aprovação das vendas

São todos inconvenientes inerentes ao negócio do intermediário, que variam de caso para caso e normalmente são percebidos ou agravados quando a loja virtual começa a crescer.

Quanto custa um intermediário

A facilidade de operação do intermediário tem seu custo na taxa por transação: 5,4% a 7% para vendas por cartão de crédito e 1,9% a 2,9% para vendas por boleto e débito.

Mesmo assim, são sistemas ridiculamente fáceis de contratar: você cria uma conta gratuitamente, faz a integração com a sua loja (já pronta para muitas plataformas de loja virtual) e começa a vender.

Como escolher um intermediário

Intermediários de pagamentos, embora não sejam todos iguais, são mais fáceis de comparar do que gateways.

Ao escolher, além de comparar taxas e prazos de depósito, considere também o seguinte:

  • Qual o prazo médio de aprovação dos pagamentos para o seu mercado?
  • Qual a taxa média de reprovação de vendas para o seu mercado?
  • Quão amigável ficará o checkout para o seu cliente?
  • Qual a eficiência e a agilidade do atendimento?

Exemplos de intermediários

Os mais conhecidos: PagSeguro, Bcash (antigo Pagamento Digital), Moip, Paypal, MercadoPago e Akatus.

E se não quiser contratar um sistema de pagamentos?

Bom, aí você está pensando em “economizar” criando o seu próprio sistema de pagamentos, o que para a maioria dos casos eu simplesmente não recomendo, mas é uma alternativa possível.

Concorda ou discorda?

Compartilhe sua experiência, manifeste sua indignação ou satisfação com seu sistema de pagamentos, e deixe um comentário.

Tags: 

CategoriaCases / E-CommerceNews

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: